Início Cadeira 86 José Raimundo da Silva Lippi

José Raimundo da Silva Lippi

Ocupou a , no período de 18/05/2007 até 04/04/2016.

José Raimundo da Silva Lippi nasceu em Belo Horizonte, em 1935. Filho de Cyra Maria da Silva e Humberto Emmanuel Lippi. É casado com Lígia Ladeira Lippi e tem três flhas: Flávia, Renata e Fernanda. Estudou no Grupo
Escolar Pedro II e no Colégio Marconi. Graduou-se pela Faculdade de Medicina da UFMG em 1965.531 É especialista em psiquiatria a partir de 1970 pela Associação Brasileira de Psiquiatria e pela Associação Médica Brasileira.
Especialista em psiquiatria da infância e adolescência, desde 1979, pelo Departamento de Psiquiatria e Neurologia da FM-UFMG em convênio com a Associação Brasileira de Psiquiatria Infantil.
Entre inúmeros títulos acadêmicos, são destaques: Doutor em Medicina pela Fundação Oswaldo Cruz, em 2003, com a tese Tentativa de suicídio associada a violência física, psicológica e sexual contra a criança e o adolescente.
É Professor Adjunto, aposentado, do Departamento de Saúde Mental da FMUFMG. Coordenador geral do Curso de Especialização em Psiquiatria e Psicologia da Infância e Adolescência do Departamento de Saúde Mental da FM-UFMG. É Professor Colaborador do Departamento de Psiquiatria,
Medicina Legal, Ética Médica, Medicina Social e do Trabalho da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.
Entre as funções administrativas que exerceu podem ser ressaltadas: 1- Diretor Clínico do Hospital de Neuropsiquiatria Infantil, da Fundação Estadual de Assistência Psiquiátrica (FEAP), posteriormente Fundação
Hospitalar do Estado de Minas Gerais (FHEMIG), no período de 1969 a 1972; 2- Presidente da Associação Brasileira de Neurologia e Psiquiatria Infantil em duas gestões: de 1975 a 1977 e de 1985 a 1987; 3- Fundador e
primeiro Presidente da Associação Ibero-Americana de Prevenção do Maltrato Infantil (1982-1988).
Lippi é autor de grande número de capítulos em livros e de artigos em revistas, nacionais e estrangeiras. Podem ser destacados alguns de seus livros mais importantes: Depressão na Infância, de 1986; Psiquiatria Infantil: Estudo Multidisciplinar, de 1987; Abuso e Negligência na Infância: Prevenção e Direitos, de 1990; Ofensas Sexuais – Estudo Multidiscliplinar, de 2005.
Mais importante que títulos acadêmicos, livros e publicações, realizações administrativas, é o seu pioneirismo na implantação da Psiquiatria da
Infância e Adolescência em Minas Gerais, papel hoje reconhecido não só pelos psiquiatras mineiros como pelos seus pares em todo o País. Fala mais alto o testemunho de alguém tão insuspeito quanto Jorge Paprocki para
descrever a vida de José Raimundo da Silva Lippi. Transcrevemos aqui trecho do discurso de Paprocki na saudação a Lippi quando de seu ingresso na Academia Mineira de Medicina, em 2007:

“Esta enumeração de dados, protocolar, não traduz o que eu penso e sinto em relação ao meu ex-estagiário. Vou tentar exprimir esses sentimentos a seguir: eu conheço o José Raimundo (sem professor doutor) há 43 anos, a partir de quando ele foi estagiário voluntário do
Hospital Galba Velloso, que eu dirigia, na época. Ele fez parte da primeira geração de psiquiatras mineiros formados nesse hospital e participou, ativamente, da revolução que aí ocorreu no período de 1964 à 1969: na área de assistência psiquiátrica pública, com a abolição
total de meios de contensão mecânica; no ensino formal de psiquiatria, com a instalação da primeira Residência da especialidade em Minas Gerais: na implantação de um polo de pesquisas com psicofármacos; na realização dos primeiros congressos de psiquiatria em Minas Gerais.
Essa revolução produziu poucos resultados à longo prazo. A psiquiatria mineira tem pouca coisa, de que se orgulhar no presente. Mas foi muito boa e bonita enquanto durou. Nesse período ele deu início à
implantação de um tratamento racional e humano em uma enfermaria de crianças e adolescentes do Hospital Galba Velloso. Pouco mais tarde, ampliou as estratégias testadas nessa enfermaria, na direção do Hospital de Neuropsiquiatria Infantil da (FEAP). Desse período fcou a lembrança de um homem disciplinado, com um desempenho efciente, responsável e correto. A partir de 1970, acompanhei a trajetória do Dr. José Raimundo da
Silva Lippi de longe e com admiração, por sua obstinação no esforço para o aprimoramento da nascente psiquiatria infantil, no Brasil e na implantação da psiquiatria infantil em Minas Gerais. No estabelecimento de um intercâmbio com fguras de muito relevo; na organização de muitos congressos de psiquiatria infantil, locais, estaduais, nacionais e internacionais; na estruturação de um grande número de cursos de psiquiatria infantil e consequente formação de profssionais; na fundação de sociedades importantes, ligados a essa área. […] Em
resumo: vemos no Acadêmico José Raimundo da Silva Lippi: um profssional dedicado e competente, com papel muito destacado na implantação da psiquiatria infantil no Brasil e em Minas Gerais, com características pessoais de empreendedor obstinado, um realizador, um fazedor de coisas.”

José Raimundo da Silva Lippi foi eleito para a Cadeira de número 86 da
Academia Mineira de Medicina, cujo Patrono é Washington Ferreira Pires e
seu primeiro ocupante o prof. Austregésilo Ribeiro de Mendonça. Em 2015
foi promovido a Membro Emérito da AMM. É seu atual Presidente, na Gestão 2017-2019.

Fontes:
PAPROCKI, Jorge. Discurso para a posse do Acadêmico José Raimundo da Silva Lippi na Academia Mineira de Medicina. Anais da Academia Mineira de Medicina. Ano XXXVII – 2007, pp.324-5.

CORRÊA, A.C.O. Breve história da psiquiatria mineira. Belo Horizonte: Editora 3i, 2018, pp. 323-5.

Discurso de posse

Clique aqui para fazer o download do discurso de posse

Ocupantes da Cadeira 86

Washington Ferreira Pires

13/02/1892 23/11/1970

Austregésilo Ribeiro de Mendonça

Posse: 10/05/1971 - 02/04/1999

José Raimundo da Silva Lippi

Posse: 18/05/2007 - 04/04/2016

Antônio Carlos de Oliveira Corrêa

Posse: 11/11/2016 - atualmente
Cadeira anterior Cadeira 85
Próxima Cadeira Cadeira 87